// Oricana - Associação dos Fornecedores de Cana da Região de Orindiuva
Chefe agro da UE culpa Mercosul por retrocesso em negociações comerciais

Os países do Mercosul retrocederam em negociações com a União Europeia no ano passado e precisam fazer concessões em sete pontos para que as conversas avancem, disse neste sábado o principal negociador da agricultura do bloco.

 

“Não estamos próximos de um acordo, porque houve retrocessos por parte dos países do Mercosul em relação a alguns produtos sobre os quais tínhamos acordos em 2017”, disse o comissário de agricultura da UE, Phil Hogan, em entrevista no Paris Farm Show.

 

Antes da nova rodada de negociações com o bloco, em março, a União Europeia está buscando concessões em relação a carros, peças automotivas, regras de origem, contratos públicos, setor marítimo, laticínios e indicações geográficas.

 

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse em dezembro que a posse do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, dificultaria um acordo entre os dois blocos.

 

Já o Brasil acusa a União Europeia de ser protecionista em reação à agricultura brasileira.

 

Sobre os Estados Unidos, Hogan afirmou esperar que o pedido norte-americano de ter uma fatia maior da cota de importação de 45 mil toneladas de carne livre de hormônios deve ser resolvido “entre quatro e seis semanas”. Ele afirmou que outros países que usam a cota, como Austrália e Argentina, precisam entender a necessidade de resolver o assunto.

 

Contudo, ele reiterou que a posição da UE na agricultura não será parte de maiores negociações comerciais com os EUA.

 

Reportagem de Gus Trompiz

PARIS (Reuters)